Get Adobe Flash player

Condolências

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros expressa publicamente as mais sentidas condolências, à família, a todos os camaradas e aos Bombeiros Voluntários de Figueiró dos Vinhos pela morte trágica do bombeiro de 2.ª, Pedro Miguel Jesus Rodrigues ocorrida durante o combate ao incêndio florestal que atingiu aquele concelho.

 

 

Ao Camarada Pedro Miguel Jesus Rodrigues

 

Descansa em PAZ

 

Notícias de Incêndios

Desde a meia-noite, o site da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) já registou 93 ocorrências.
24-06-2013 19:56
Mais de centena e meia de bombeiros combatem um incêndio que deflagrou pelas 16h30 na zona de Tondela. Segundo disse à Renascença fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro, o fogo está a ceder mas os difíceis acessos prejudicam os trabalhos.

As chamas, que progrediam numa frente, estão a ser combatidas por 156 operacionais, apoiados por 32 veículos e três meios aéreos - um helicóptero de ataque inicial e dois aviões bombardeiros.

O fogo que arde desde as 16h00 no concelho de Pampilhosa da Serra foi já dado como dominado. No local mantêm-se em operações de rescaldo 127 elementos e 34 veículos, adiantou à agência Lusa uma fonte do CDOS de Coimbra.

Dezoito concelhos dos distritos de Faro, Santarém, Guarda, Viseu, Porto, Aveiro e Castelo Branco estão esta segunda-feira sob risco "máximo" de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Desde a meia-noite, o site da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) já registou 93 ocorrências.

No domingo deflagraram 112 incêndios, que foram combatidos por 1.462 homens, apoiados por 383 veículos.

Fonte: RR

Ambulâncias novas paradas por falta de pagamento estatal

 
Ambulâncias novas paradas por falta de pagamento estatal
 
Ao todo são 200 os veículos novos que estão parados há mais de um ano por falta da comparticipação de 80% da verba do Estado ao abrigo do QREN (Quadro de Referência e Estratégia Nacional). A crise e a falta de financiamento estão a deixar dezenas de corporações perto da ruptura e a levar os bombeiros a emigrar.
 

Por falta da comparticipação de 80% da verba do Estado, ao abrigo do QREN (Quadro de Referência e Estratégia Nacional), existem 200 ambulâncias novas que não são usadas. O processo ainda não foi desbloqueado, mas o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), Jaime Marta Soares, diz não entender se se trata de “burocracia ou incompetência” a demora por parte do Ministério da Administração Interna na resolução desta questão.

“Fazem-se concursos, encomendam-se as viaturas, elas já estão feitas e, agora, não há dinheiro para pagar aos empresários”, lamenta Jaime Marta Soares, que salienta que a situação dura há mais de um ano.

A estes 200 veículos parados que, por não serem usados, dificultam os meios para socorrer os utentes não urgentes, juntam-se problemas nas corporações, cada vez mais precárias financeiramente.

De braço dado com a crise, a falta de financiamento, deixa 50% das corporações, 200 no total, com dificuldades na tesouraria ou mesmo em colapso financeiro. Algumas já se viram obrigadas a recorrer a despedimentos e à venda de equipamentos, e muitos bombeiros voluntários já abandonaram o País.

Fonte: Notícias Ao Minuto

Operacionalização do corpo de bombeiros voluntários


Após a autorização formal da Autoridade Nacional de Proteção Civil e a concretização de todos os procedimentos legais, ficou concluído o processo de criação e operacionalização do corpo de bombeiros voluntários, passando o mesmo a ser detido e gerido pela Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Abrantes (AHBVA).
A Câmara Municipal de Abrantes entende dirigir-se a todos os munícipes do Concelho de Abrantes e informar o seguinte:
• O socorro, a segurança contra riscos de incêndio, acidentes e participação em atividades de proteção civil no Concelho de Abrantes está garantida e melhorada;
• Quanto ao pessoal, nenhum dos bombeiros profissionais, funcionários da Câmara e por ela até agora remunerados, perde o vínculo público. Não perderam nem direitos, nem regalias;
• Os bombeiros profissionais, funcionários da Câmara, que aceitaram serem cedidos por interesse público à Associação Humanitária, conservam todos os direitos da carreira de origem, designadamente a contagem, na categoria de origem, do tempo de serviço prestado em regime de cedência. Continuarão a ser funcionários do município, com a vantagem de estarem numa associação, podendo progredir e serem valorizados efetivamente, situação que hoje não acontece na autarquia, porque estão sujeitos às restrições de promoções, que na Administração Pública estão congeladas. Mas mesmo assim, por sua iniciativa e, desde que o manifestem com a antecedência de 30 dias, podem regressar sem obstáculos aos serviços municipais;
• Os bombeiros profissionais, funcionários da Câmara, que não quiseram, por sua vontade, ser cedidos por interesse público à Associação Humanitária estão a ser reintegrados nos postos de trabalho da Câmara Municipal, nomeadamente em funções equivalentes em termos remuneratórios;
• Os bombeiros voluntários, que assim entenderam, puderam solicitar a passagem para o corpo misto da Associação Humanitária de bombeiros voluntários, não sendo prejudicados pela transferência, e prestando a sua atividade com o reconhecimento que merecem;
• O atual corpo de bombeiros dispõe exatamente dos mesmos meios técnicos que dispôs ao longo dos anos, sob gestão do município;
• O património, constante das instalações do quartel de bombeiros e dos veículos, foi cedido à AHBVA, por protocolo, a título de comodato para o funcionamento do corpo de bombeiros sob gestão da Associação Humanitária, não podendo a Associação fazer alterações estruturais, ou dar-lhe outro fim, sem consentimento da Câmara;
• A Câmara Municipal de Abrantes continua a manter quer o Comandante Operacional Municipal, a quem compete para além do mais, acompanhar permanentemente as operações de proteção e socorro que ocorram na área do concelho, quer o seu Serviço Municipal de Proteção Civil, tal como está estipulado legalmente.

Por último:
• A Câmara reconhece que os 150 anos da história dos Bombeiros de Abrantes são um património do Concelho de Abrantes, dos homens e das mulheres que deram o melhor das suas vidas ao serviço da corporação, na primeira linha do apoio ao socorro da população. Todos nos orgulhamos disso, independentemente da atividade ser levada a efeito por uma corporação municipal ou em regime associativo no município. Em vários momentos da história, passada e recente dos Bombeiros de Abrantes, várias foram as vezes em que a Câmara e as organizações da sociedade civil juntaram esforços encontrando soluções para garantir as melhores condições de serviço numa área que é considerada por todos vital. É isso que estamos a fazer, com especial reconhecimento a todos os que têm ativamente gerido e participado no processo com o único desiderato de servir melhor a comunidade.

Nota: Consulte as informações adicionais em anexo aqui

Fonte: CM Abrantes

Governo entrega primeiros rádios SIRESP dos 1.000 que reforçarão os bombeiros do país

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, entregou hoje aos Bombeiros Voluntários de Fátima os primeiros rádios SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal) de cerca de mil, que irão reforçar as várias corporações do país.
"Iniciamos hoje a entrega dos rádios SIRESP, cujo reforço irá praticamente duplicar a capacidade de comunicação instalada nas corporações", o que é "muito importante do ponto de vista operacional", adiantou Miguel Macedo, durante a cerimónia do Dia do Bombeiro, revelando que o ministério irá distribuir cerca de mil rádios durante o período do verão.
Admitindo a falha do SIRESP no temporal de janeiro, que assolou parte do país, o ministro referiu que é uma "situação que tem de se rever" e que "resulta do contrato que foi assinado há vários anos". Segundo o governante, "a opção que foi feita na altura foi no sentido de fazer alguma poupança, em termos do pagamento do que está contratualmente previsto".
"Estamos a fazer uma reflexão sobre se essa poupança se justifica, porque, como ficou à vista, as consequências podem ser muito complicadas", sublinhou.
O bombeiro da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cascais, Idálio Simão, foi o escolhido pelo júri como Bombeiro de Mérito 2012 por ter "protagonizado e coordenado" uma equipa de bombeiros e agentes da PSP, que evitou o suicídio de uma mulher, que se preparava para se lançar do 10.º andar de um edifício situado no Bairro do Rosário, em Cascais.
Idálio Simão, que além de bombeiro voluntário é também agente da Divisão de Cascais da PSP, evitou a queda da mulher ao ter segurado a vítima pelo pulso. Nessa operação "acabaria por cair numa piscina que se encontrava dissimulada".
Por se encontrar de férias, Idálio Simão chegou a Fátima já depois do final da cerimónia. "Este prémio é uma gratificação, um agradecimento de uma vida que damos em prol dos outros, quer numa profissão quer noutra. É também dos colegas, porque não é um prémio meu, é um prémio de todos os que estiveram no local e não só. De todos os bombeiros", referiu à agência Lusa.
O homenageado garantiu que hoje voltaria a fazer "exatamente o mesmo", apesar de ter consciência dos riscos. "Sinto-me feliz por as coisas terem corrido bem. Só quem lá esteve é que consegue ter a sensação do que se passou ali. Tive segundos para agir, se demorasse mais alguns segundos a pensar o desfecho seria outro", recordou.
Idálio Simão adiantou que se sente "realizado de igual forma" em ambas as profissões e que esta situação "Foi mais uma de muitas" que vive diariamente. "O nosso trabalho é de zelar pela vida de todos. Não me sinto herói. Sinto-me bombeiro", referiu, admitindo que ser bombeiro é "de certa forma ser herói".
No seu dia-a-dia nada mudou: "Continuo com o mesmo orgulho e vontade de zelar pelo nosso lema: vida por vida."
Já à margem da cerimónia de entrega de Prémio Bombeiro de Mérito 2012, o ministro da Administração Interna falou ainda da final da Taça de Portugal, que espera que decorra "sem problemas".
Miguel Macedo assegurou que "as duas forças de segurança - PSP e GNR - têm um dispositivo que é considerado adequado para esta específica circunstância da final da Taça de Portugal".
A final da Taça de Portugal realiza-se esta tarde no Estádio do Jamor, entre Benfica e Vitória de Guimarães.

Fonte: Jornal Madeira

Pesquisar

Portal do Bombeiro

Visitantes

Hoje25
Ontem105
Semana675
Mês1923
Total161212

O seu IP é: 54.144.23.12 Esta a utilizar Unknown - Unknown 20-08-2017

Quem está online
Guests : 37 guests online Members : No members online